terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Geração Benflogin

Uhh!e Maconha? Que nada! Agora a moda é tomar benflogin. pros que começam, 7 de uma vez você ja consegue ver a luz e a poarede derretendo. 1 cartelinha já faz voce bater altos papos interessantissimos com os objetos do seu quarto. Largaram a cocaína, a herína, o LSD, a bala.. enfim!
Parece que cada vez mais, tanto os jovens quanto qualquer outro alguém, precisa mesmo sair da realidade de qualquer jeito pra se sentir inteiro. O que é que tá acontecendo com a gente? Será que é pura diversão ou alguma coisa mais séria?
Ah, vamos tomar coca-cola, porra!

:)

domingo, 28 de dezembro de 2008

Espelho

Abro a porta do quarto, assim, la pelas 4 da madrugada.

Tudo escuro, as luzes apagadas. Meus olhos cegos por um instante, nitidizando objetos apenas com a luz forte da lua que entra pela janela do meu quarto. Ando em direcao aquele grande vidro espelhado. Sei que ele e o espelho da alma, e ja sabemos o que nele esta contido.
Vejo os tracos familiares de alguem que e semelhante a mim. Temo, por talvez pensar que divido minha alma com ele. O 'eu' atras do espelho. Tracejo devagar, com a ponta dos dedos, as curvas desse tal individuo em um plano liso e, ao mesmo tempo, tracejo com a outra mao, os tracos curvos de um plano modelado. Temo denovo, por saber que os tracos sao identicos e totalmente diferentes. E se sou eu, aquele do outro lado? E se aquele do outro lado for um corpo com alma e eu, apenas um reflexo? Novamente temo.
Eh como olhar a tua frente, um prisma de varias faces e cores, eh como enxergar a tua alma expandida, cheia de carisma. Mas ainda sim, eh um enigma.
E uma obra reveladora, talvez. Mesmo que ainda queira permanecer contida, eh uma (outra) vida cheia de intrigas e misterios... Mas querendo-me manter viva, nao pretendo decifrar o que me abisma.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Hedonista

Sempre em busca, corpo por corpo.
Sinto o curioso cheiro do seu silencioso suspiro que nao para, nao para. Vai e vem, vai e vem e me deixa louca! As cores se confundem na minha cabeca e eu nao consigo parar. Sempre em busca e quase chegando, eu nao podia parar.
Seus labios molhados tocando os meus, sua pele gritando suor, se secando na minha. Pareciam ser os melhores segundos da minha vida! Cada ponto, cada segundo mais forte, cada toque. Era como se eu nao parasse de buscar, sempre mais e mais e mais!
os prazeres se mostravam nitidos em forma de gritos e tremores, em forma de acao, em forma de respiracao forte. Unhas enterradas na carne, na sua pele, nas tuas costas. E era tudo essa sensacao de liberdade. No final, por 15 segundos, em plena chuva, forte e fria que tocava nossa pele e desmanchava meus cabelos. Aquela chuva que banhou nossa alma e revitalizou-nos como se tivessemos nascido denovo. Eramos outros, mas ainda nao paravamos de buscar o prazer. Ainda nao haviamos chegado no ponto, no perfeito.
Essa busca ainda passara por muitos suspiros de calor de um vai e vem sem fim. O vai e vem de uma rede, uma cama, um chao.... nao importa...

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Por alguns insistentes momentos

Um sol que mais parece tempestade
Um som que me lembra explosao
As luzes que parecem cegar
O ar que parece nao exsitir.
O tempo que parece nao passar
O calor que parece matar!
O unico e sobrio vacuo
O primeiro que parece o ultimo
O vidro que insiste em cortar
E o corte que parece nao curar.
A historia que morreu sem ser contada
A vida que passou e nao viveu
A droga que matou e nao morreu
Vazio que parece vazio
e que realmente é.
E ate hoje eu espero minha overdose de voce.

domingo, 21 de dezembro de 2008

Cada um

Os índios das belas matas verdes,
As caravelas de Cabral,
As escrituras de Vas de Caminha
Todos teriam lugar ali.

A Cachça na esquina,
O bebado e o equilibrsta,
As rosas de Cartola
Todos teriam lugar ali.

As guitarras confusas de Hendrix,
Com a voz rasgada da Janis,
E um pouco de intorpecentes
Tambem teriam luga ali.

A terra seca do Sertao,
E a chuva traiçoeira do porão,
Sem teto, sem parede ou chão
Ali eles teiam lugar.

Para os poetas descansados de veludo,
Pra poesia recitada por um mudo,
E as cordas arrebentadas de um musico
Encontrariamos um lugar ali.

Tudo teria lugar.
Tudo lá teria vida.
Toda vida em um segundo,
E abrigariamos o mundo.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

7 vezes escrevi teu nome, num mundo assim BEM grande

Andando por essa chuva, por essas ruas alagadas de desejos,
Eu esbarro em voce a cada esquina.
Cada gota de chuva que toca minha pele... e como se eu sentisse o mesmo quando eu te beijo.
E mais do que ver, eu sinto e respiro voce.
Voce me traz vida mesmo quando eu acho tudo sem graca.
Seu beijo, seus olhares e seu toque...
E eu realmente sinto que de alguma maneira, o que nos junta esta mais alem do que a imensidao do infinito.
Voce e a musica dentro de mim. Voce e a melodia surda das notas mudas que cantam alto dentro da minha cabeca. Mas so eu ouco... e ouco, e vivo e sinto.
Eu nao sei qual parte da nossa vida ainda nos une
E nao sei ate quando eu vou viver voce,
Mas pra qualquer lado que nossos destinos resolvam seguir
Tenho certeza que um pedaco seu vai ficar sempre em mim.
Por que tem coisas que tempo nenhum consegue apagar.
E se for o caso, eu peco pro tempo esperar ou se atrasar
Pra que va e esqueca de passar por nos.
Tem muito mais segredos nas suas caras e bocas, nos seus olhares... Mas ainda temos a vida toda.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

O beijo é um meio de comunicação

... é o meio mais sincero, mais gostoso e mais bonito.
As vezes fala mais que mil palavras.

E se o poeta não estivesse mais lá?




Sairia pelas pedras de copacabana, espancada pelo sol que me arranha. Talvez ele não fosse tão brilhante, e a agua talvez nao seria mais azul. O ceu nao estaria mais acima e meus passos nao achariam um caminho. O que era, até então não seria mais. Mais nada. Nem musica, nem poesia. Nao seria rima, não teria vida. E assim eu penso no que eu faria e o que eu sentiria Se um dia eu fosse acordada pelo peso da falta E procurasse me preencher a caminho da praia. Me pergunto o que eu faria se um dia eu acordasse E o poeta nao estivesse mais lá.

sábado, 13 de dezembro de 2008

Se não tem dor, não é amor.

Preciso de algo que queime, estralhaçe!
Algo que corte, algo que mate!
Cada rosto sem graça, cada caso sem praça.
De que serve toda essa merda?
Eu preciso é de força. Força bruta, Força mutua.
Quero viver o intenso, nas pancadas do momento
Que depois deixam marcas, feridas, sangramento.
Quero viver caindo e quebrando a cara,
Eu preciso disso pra me livrar da vala.
Vida feita de alegria não é vida.
Só alegria não existe.
Quem sempre foi alegre, não viveu
Assim como quem sempre foi livre,
Nao sabe o que é ter liberdade.
As vezesé preciso.
As vezes EU preciso.
Mas apesar se sentir a cera da vela quente borbulhando minha pele
Apesar se sentir a navalha que desliza no meu pulso
Apesar se sentir as unhas que encravam na minha carne
E apesar de sentir a força do meu coração sendo esmagado,
Eu até me conformo,
Me conforto.
Agora, nesse instante, eu preciso de vida!
Por favor, me faça sofrer.
Me faça sofrer, ou me deixe morrer.

sábado, 6 de dezembro de 2008

Poesia pela minha rua.

Ilusões da Vida

Francisco Otaviano

"Quem passou pela vida em brancas nuvens
E em plácido repouso adormeceu,
Quem não sentiu o frio da desgraça,
Quem passou pela vida e não sofreu,
Foi espectro de homem, não foi homem.
Só passou pela vida... não viveu."

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Falem mal, mas falem de mim!

Chega! Chega de ouvir calada e ir levando... Chega de ouvir e fingir que não aconteceu!
Fofoca é uma merda! Mais merda ainda, são aqueles que criam e aumentam as fofocas, aqueles que repassam... Pior que isso, e a vontade que esses tem de fazer isso.. a necessidade. Parece que sao alimentados de fofoca, movidos a vida dos outros. Nao entendo por que ao invez de tomarem conta da vida deles, eles tentam tomar conta da vida dos outros!
Nao intendo por que ao invez de FALAR NA CARA, eles preferem falar por tras. Pobres de espirito. Eu to cansada disso, nao quero fazer parte dessa merda toda. Tudo isso é baixo e cedo ou tarde vai voltar pra eles. Todos eles, principalmente ELA.
Pensem o que pensar, Facam o que fizer e podem falar qualquer coisa! Mal ou bem, falem de mim! se alimentem da minha vida. Isso mesmo... Continuem assim que vocês vão longe. A vida cheia de mentiras de vocês vai ficar menos interessante a cada dia e no final, quando não tiverem mais nada pra falar ou inventar sobre a vida alheia, o que resta é falar de voces mesmos. Quando isso acontecer, pra vocês nao se matarem, olhem pra vocês mesmos e por favor, percebam que ninguém é melhor que ninguem.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Na sala

Sento na sala vazia,
Observo.
A minha frente ha uma TV desligada,
Dentro dela meu reflexo.
As luzes que vem de fora claream minha visao.
Nao fica tudo claro, mas esclarecido talvez.
A chuva la fora faz aquele barulho...
Aquele. Ai, como se minha poesia um dia molhasse,
Mesmo um rosto de pedra,
Mesmo uma gota de orvalho.
Ah, esqueci de observar meus pés.
Minha mãos.
Entrava em conflito ecomigo e a televisão,
Na verdade não sabia por onde olhar,
Se pelo real ou pela ficção.
Fixação. Fixação. Paranóia.
Levantei-me para pegar papel e caneta,
Um copo se quebrou
Estemeci meu corpo e cortei-me com o vidro.
Enquanto escorria meu sangue, eu observava.
Eu já esquecia do mundo lá fora,
Ou do corte doendo.
O que me facinava, me prendia , me aprisionava,
Era aquela TV desligada.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

?

O que realmente é?
E o que é real?
Estamos aqui por que o mundo a nossa volta existe, ou o mundo a nossa volta existe por que estamos aqui?
Não adianta, você nunca vai conseguir converncer o teu próximo de que ele está errado.
O nossos sonho são nossa vida real, e a nossa vida real são apenas sonhos? Eu me pergunto por que o homem inventa tanta lei, tanta regra pra tentar explicar as coisas! Seilá, acho que nós teriamos muito menos problemas se não tentassemos convencer os outros de que nós somos os certos. Se voce tem uma teoria maluca, limite a dividir com quem voce sabe que não vai entrar em um conflito eterno por causa disso.
Enfim, na vida existem perguntas cujas respostam tambeém não existem. Mesmo que inventemos solucoes ou achemos um ponto na questão, SEMPRE haverá um porém. Então cuidado pra nao viver atrás de respostas, por que de fato nunca irá achá-las. Ou vai, mas isso é muito relativo e com certeza algum falha. Ou pode ser que voce ande sempre pelo caminho da suposta 'razão', até ficar velho e morrer doente da cabeça por viver sua vida inteira dedicado apenas a achar uma resposta para o que não tem e ver que fracassou.
Acho que a melhor coisa é viver sem razão. No final sempre acaba tendo uma...

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

RAIVA, RAIVA, ODIO, MEDO...

AAAAAAAAH como sempre final do ano e vem auqele bicho de 7 cabecas chamado matematica pra me infernizar! Como se nao bastasse tem aquela porra de fisica e aquela babaquice de biologia que eu etudo nao sei pra que e nem por que.
Em passos longos e meio tremulos em direcao aquele presidio que chamam de escola.. e indo pra que? pra pegar o boletim. E o que deu? Me fodi, obvio.. como sempre!
Ok, a partir de amanha ate dia 12, eu nao tenho vida. É so estudar estudar e estudar. E pra que? Pra passar na merda e uma prova de vestibular e esquecer de tudo no final!
AH, MERDA! SERA QUE A ESCOLA ACHA QUE EU NAO TENHO VIDA??

Quero que va tudo pra PUTA QUE PARIU e o caralho a quatro..
Eu to com muita, mas muita raiva. De mim, da escola, dessa porra que eu nao concordo e faco e mais raiva ainda e me submeter a essa babaquice.. EI, EU TENHO VIDA SIM!


Merda, merda, merda
Dia 12 acaba... e bem, se D's quiser!

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Era uma vez...


Tem uma hora que voce cresce e ve que aquele livro de conto de fadas que falava da garotinha que havia predido o sapatinho de cristal na escada do bailee, está com a capa rasgada e com algumas paginas faltando. Ve que aquele tapete magico já está empoeirado demais e te deixa com alergia e que aquela maçã envenenada deixa de ser perigosa e passa a ser deliciosa por ser tão vermelha, tentadora e por ser light.
Ai parece que todas as princesas que fizeram a sua infância, se revoltam de vez. Encurtam o vestido, abrem um decote, soltam o cabelo e borram a maquiagem. Nos bailes, nada de dançar valsa! É rock´n´ roll e olhe lá!! Seus príncipes não são formais e não usam roupas de príncipes, e sim, calca jeans preta apertada, coturno, blusa preta, quem sabe um moicano e piercings na orelha e estão sempre com um cigarro na mão.
Você se assusta de cara, mas depois acaba gostando. E como na sua infancia voce gostava de colocar os respectivos vestidinhos para se sentir as tais, agora quer o mesmo, mas pra se sentir muito mais sexy e provocante.
E como se voce entrasse dentro desse novo conto de fadas... Bailes regados de principes gatos, orgias interminaveis, overdoses e overdoses de rock, drogas, alcool e sexo. É, depois dessa você só pode tirar uma conclusão: Você cresceu.
Daí você olha em volta e vê todo mundo curtindo adoidado. Depois de uns anos você olha pra trás, vê aquelas calcinhas, sutias, meias 7/8 rastão, vestidos rasgados, tudo no chão... algemas e chicotes, guimbas e copos quebrados, pós brancos e umas ervinhas verdes, CD´s do Jimi Hendrix, AC/DC, Led espalhados e pensa: É, como a gente viveu.
E agora, do outro plano de onde voce está vendo tudo isso, você pensa: Como eu vivi! e agradece àquelas princesas que estiveram contigo todo tempo. Agradece aos livros e tenta repor as capas rasgadas e as folhas destacadas pra que seu filho também pudesse ler.
E depois de escrever o seu proprio conto de fadas, nao poderia faltar aquele final classico que diz que 'todos viveram felizes para sempre'.

THE END

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Por você mesmo...

Viva sua vida intensamente. Faça tudo o que quiser fazer pois vida é uma coisa única... O ontem já foi embora e o amanhã pode não vir.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

O que me faz ser ser.

Eu sou do rock, do blues e do jazz.
Soudo rio, do samba, da bossa.
Eu sou da musica, dos cantos dessas ruas
Por ipanema e leblon, ando sem desafinar meu tom.
Eu sou um refrao, sou um som.
Sou as batidas do pandeiro e do tambor,
Da bateria e do amor.
Sou uma alma perdida, jamais esquecida,
Eu sou eu, voce, ela, aquela...
Sou o caos insano das palavras sem engano
Sou o soprano da tua voz que embala minha vinda.
Sou o vai e vem, a cabeca louca,
O trovao de notas que soam da guitarra.
Eu sou quela estrela que voce ve no ceu
Mas aqui na terra cumpro meu papel.
Faco minha musica, canto minha alma,
Canto pros mares sujos, pra que se tornem limpos.
Eu sou como ja dizia Raul, uma metamorfose ambulante,
Sou o timbre mais amante,
Sou a musica errante.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Jogando a sorte no ar



Era aquilo mesmo que se dizia, o amor. Amor que dura, amor que acaba, amor que passa, amor que gruda. Amor por amor e amor por sorte.
Entre os dedos eu via escorrer aquilo que muitos chamavam de sorte. Como eu nao sou boba nem nada, agarrei com a outra mao sem deixar que caisse no chao.
Sorte ou não, não caiu. O caos da minha materializacao condicional teria feito com que eu usasse aquela droga de algema denovo, mas dessa vez nao colocaria nas minhas duas maos... Agora eu teria um outra cobaia comigo. Mas sem definições, a algema durou pouco... menos que 3 semanas. Mas parece que, mesmo sem aquela alguema, minha sorte grande não desgrudava. Pela primeira vez eu nao percisava delas pra me sentir inteira.
Caindo as ceras da vela e nua por dentro e por fora, eu so consguia sentir oe vento. O amor e o vento que ventavae como um venda val de sexta feira.
Insanidades sanas de pecados lúcidos regados de prazeres selvagens com direito a visitas de tarde. Que porra era aquela que bajulava minha cabeça na hora da ula, na hora do banho, na hora das horas e na hora do sono? Que vício era aquele que nao era maconha, nao era tabaco, nao era alcool e nem cocaína? Talvez meu consciente esteivesse submerso na minha mente ou talvez eu realmente estivesse ficando louca.
Fodasse, sendo assim (ou não), eu sei que no mesmo dia em que eu quase deixei minha sorte cair no chao, eu pensei melhor joguei ela pro alto. E eu até dei sorte.. O vento com certeza tava a meu favor!

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Geração 'click'

Nós (ou a maioria de nós), somos de uma geração onde tudo ja está perfeitamente estruturado para suprir nossas necessidades, sejam elas grandes ou pequenas. Se ainda não existe, fazemos por onde criar.
Nós nascemos e tudo já estava pronto! Basta um click e você já está aqui no Brasil falando com seu amigo na California. Um click e você está vendo aquele show que você perdeu, via parabólica. Um click e você encontra o que quiser na internet. Enfim.
O que me preucupa, é ficarmos muito acostumados a ter tudo em um click. É como carregar uma mochila pesada: Se você passa sua vida inteira carregando, vai ter uma hora que alem de voce ter problemas na coluna, não poderá mais fazê-lo. O click não é muito diferente. Apesar de sabermos que nosso dedo não irá cair, não temos plena consciencia dos danos que tal sedentarismo fisiopsicologico podera nos causar.
Nao tiro a confortante ideia de saber que, caso eu precise saber sobre algo, tenho um computador a minha disposicao pronto pra ser usado e eu nao precisarei pegar 100 livros na biblioteca publica e tentar achar minha resposta neles. Mas isso me conforta, pois não estou acostumada com pesquisa em livros. Claro, as vezes ha necessidade. Mas quem é que vai pesquisar num livro se tem uma maquina inteligente e um click logo atras da porta do seu quarto?
Só quero deixar clara minha raiva hipócrita para com o click. Se ele não existisse, com certeza não estariamos usando apenas 1/4 do nosso cerebro... eu com certeza tiraria notas melhores, mas por outro lado, nao estaria escrevendo nesse blog.
E pra finalizar, me dispeço com um click num botão laranja que diz: "PUBLICAR POSTAGEM"

Click...

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Auto-destruição


Ao redor do nosso planeta terra, se forma, vindo de toda maldade, pecado e ambição humana, uma grande bola de energia ruim que fica cada vez maior a medida que tais sentimentos e más ações vão aumentando. Essa bola esta girando ao redor da terra e sua velocidade é proporcional a maldade humana. Entao quanto mais maldade, mais rapida ela gira.
Alem dela, ha uma outra se formando, vinda da bondade humana. Esta tambem é grande, mas nada comparada à da maldade. Esta com pólo positivo e aquela com pólo negativo.
As duas rodam rapida e violentamente mas nao se chocam.
Giram ao cotrario, uma pela esqueda e outra pela direita. Ela rodam tao rapido que e impossivel ve-las. Alem de nao podermos ve-las, nao podemos senti-las, pois elas estao no espaco.
É impossivel d´elas se chocarem, pois elas nao se atraem. O grande problema e que elas estão como um pêndulo, prontas para baterem na terra. E com a forca que elas tem, quando isso acontecer, nao havera mais terra. A terra é um pólo neutro e a bola da bondade, se stivesse rodando sozinha, seria impossivel de bater na terra.
Nós todos, querendo ou não, estamos ligados a nosa terra e se quisermos fazer com que essa bola negativa pare de crescer e de rodar, precisamos aumentar a positiva para que ela anule a negativa. Como ela anularia? Puxando toda negatividade e conventendo em positividade.
Agora, se continuarmos como estamos, a tendência é aumentar mais e mais a bola ruim e nos suicidarmos com a nossa propria maldade.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

chocolatte con peppers



Vicios, Sol.
Soiciv, Sol.
Los, Soiciv.
Los Vicios.

Passion, passion.
Pepper és una passion.
Desejo, desejo.
Chocolatte és un desejo.
Desejo apassionaté;
un chocolatte con peppers.

un copo, dug. dug d´água´s cup;
onde crio-te pepper con choco.
(subliminarmente explícito.)

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Hiper Ativa


Tá tudo rápido demais!
Girando, girando, rodando...
Rápido demais. Como é que eu paro isso?
Minha mente, minha mão... rápidos.
Isso não para, não para.
Girando, pasano muito rápido.
O relógio continua e eu to além.
MAIS RÁPIDO! Cada vez mais...
Nao consigo parar de pensar,
Nao consigo parar de escrever
E ta tudo correndo na minha cabeça.
Ta tao rapido, tao embolado, nao para!
Pisco rápido, penso rapido, falo rápido,
Meu movimento é rapido e meu pensamento é quase nada,
De tão rapido...
Meu corpo nao para, nao para.
RAPIDO DEMAIS, descontrolado...
Acontecendo rapido, andando sem parar...
Mais devagar, por favor, eu sinto que meus pes querem voar!
Nao consigo pensar em so uma coisa.. Eu vejo tudo, observo tudo sem observar.
Os detalhes passam despercebidos mas eu percebo, eu vi. Rapido, ams vi.
Os carros, as pessoas, o relogio,
Todos estao rapidos demais.

domingo, 9 de novembro de 2008

"Deus seja louvado"


Oi, eu troco a minha fe pelo teu dinheiro.
Sem muitos comentarios, a foto ja diz tudo.
Li isso em uma nota de 50 reais sexta-feira passada... Minha vontade foi de rasgar a nota, gritar de raiva, chorar... Eh, tudo isso! Mas minha doenca capitalista falou mais alto do que minha crenca em D's, falou mais alto que o meu consciente subconsciente e infelizmente eu nao rasguei por que era dinheiro.
MERDA, o que ha de errado com as pessoas? Isso me inclui.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Rebeldes sem causa

Qual e a bandeira que voce levanta? Qual e a causa que voce defende? Qual e o motivo pelo seu grito? Qual e o hino que voce canta?
Todos nos temos uma revolta, queremos mudar alguma coisa mas muitas vezes nao sabemos o que. Quando sabemos, sera que compreendemos? Sera que ha estrurura pra tal acao? Na teoria e tudo lindo, tudo tao certo... Mas nem sempre na pratica fuciona. As vezes nao chegamos nem a comecar.
Antes de fazer uma revolucao, lutrar por aquilo que cremos, precisamos saber com o que estamos lhe dando. Quantas vezes voce ja pensou em mudar o mundo? Quantas vezes voce ja se calou e se arrependeu? Quantas vezes voce disse: isso ta errado! E quantas vezes voce ja se mecheu pra mudar isso?
Sou uma rebelde sem causa. Talvez seja pela idade e por ver que tem muita coisa errada que e tao obvia, mas que todos acabam fechando os olhos pra ver. Sou rebelde sem causa, mas faco o que posso quando quero chegar a algum lugar. Sei que nao faco o suficiente mas tento.
Sei que alem de mim, existem outros como eu, diferentes de mim ou que se conformam e se confortam com tudo que lhes e imposto. Mas peco a voces que nao fiquem de boca fechada, que sim, facam uma revolucao seja ela qual for. Por que, rebelde com ou sem causa, estamos aqui pra FALAR e sermos OUVIDOS.
Nao pense, faca... mude.

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Digo que contadigo, amor, nas entrelinhas.

Nao me beije, nao me ame. Nao me queira como ontem, nao me queira hoje ou amanha. Tire de mim o seu corpo, Tire do meu corpo teu cheiro. Saia da minha vida sem medo de nunca mais voltar. Desabrace de mim seus abracos, dessussure de mim seus sussurros, desmanche de mim essa mancha, esse completo incompleto em completo.
Nao me sinta, nao me faca bem nem mal. Nao me iluda, nao me faca te querer. Nao se atire, nao me atire, me retire desse vai e vem. Nao quero sua mao, nao quero seu braco, sua boca. Nao quero a vontade, o medo, o desejo. Nao quero esse vício, quero ser sedada, quero estar vendada.
Nao me deseje, nao me possua, nao me tenha. Tenha apenas a si memo e nao leve isso como um assassinato. Nao me assassine junto. Te entrego em maos meu coracao, pra que voce possa brincar com ele sem que eu esteja contida.
Nao continue, mas tambem nao pare. Contradiga meus atos, contradiga minhas palavras. Nao se veja como aquilo e sim como isso; isso que faz meu corpo e mente se acertarem.
Nao me deixe ser isso, por favor, tenha-te consigo e me leve sempre junto pra nós nos mantermos vivos.

Nós TEMOS voz!


Rio, 31.10.2008

Saindo da estacao do metro, direto pro centro da cidade. Eu ja ouvia a euforia dentro e fora de mim. Narizes vermelhos, blusas pretas, bandeiras do Brasil, cartazes de protesto. Todos pareciam ser uma pessoa so. Uma pessoa com muito pra dizer, muito prafazer e nao aguentando ficar parado.
Gritos fortes como nós mesmos, sorrisos claros, musicas populares, o hino cantado pelos filhos da naçao, de maos dadas, aplausos e até vaias... Tudo isso constituiu uma mobilizacao pro-democratica pacifica e apartidarista. O que nos queriamos e ainda queremos, é um pouco mais de voz, um poco mais de respeito. Apesar dos narizes de palhaco, nao somos isso e na verdade nao gostamos de ser tratados como se fossemos.
Digos como "meu voto nao e lanche" ou "com quantos $ se faz uma eleicao?" ou "quem sabe faz a hora nao espera acontecer" ou "ate morto vota" ou "feriado bom pra `burro` ", enfim.. eu poderia escrever aqui as diversas formas de expressao que tivram... mas alem disso, a expressao mais forte, foi sentir aquela uniao, todos pela mesma causa, em direcao ao mesmo lugar, apoiando os mesmos interesses e alem de tudo, tentando mudar esse pais LINDO que tao tentando destruir. Ficar parado nao ajuda... o tempo em si nao faz milagres.
Lutamos pelos nossos direitos, lutamos pelo absurdo das ultimas elicoes (2008), lutamos por aqueles que nao puderam votar pois ja tinham votado (como isso e possivel?), lutamos pelas promessas nao-cumpridas, pelas mentiras, pelos subornos, lutamos por que estamos cansados de sermos enganados, roubados, feitos de idiotas... lutamos para um terceiro turno e, quem sabe, pra acordarmos o mundo!
As pessoas paravam na rua pra nos olhar e logo ouviam uma onda forte de gritos como - "Voce que ta olhando, tambem tao te roubando!"... e praqueles que ogavam papizinhos brancos mostrando apoio- "Nao, Nao, Nao! Cidade suja nao!"... Pros que nos acopanhavam de cima dos predios - "Desce todo mundo!"... Era contagiante, nao tinha como nao perder a voz la!
Nao somos so pessoas querendo fazer alguma diferenca... nos somos AS pessoas que querem fazer a diferenca. Pacíficos corpos em direçao a frente, sempre pra frente, sempre na frente.
O mais lindo de tudo foi, depois de ouvir a musica mais bonita de luto ao nosso Rio (1 minuto de silencio), ver todos com um sorriso no rosto verde e amarelo, cantando - "VERÁS QUE UM FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA, NEM TEME, QUEM TE ADORA, A PRÓPRIA MORTE(...)
PATRIA AMADA, BRASIL!!"
e no final disso, ver uma senhora limpando as lagrimas de emocao que corriam pelo seu rosto...
MPD, nao acabou aqui!

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Pra nao dizer que nao falei das flores

"Caminhando e cantando e seguindo a canção
Somos todos iguais braços dados ou não
Nas escolas nas ruas, campos, construções
Caminhando e cantando e seguindo a canção,

Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer
Vem, vamos embora, que esperar não é saber,
Quem sabe faz a hora, não espera acontecer."

Ate amanha, todos em prol a democracia!
MPD :)

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Ha um tempo atras...

Eu ja cheguei a pensar que coelhos botavam ovo e me decepcionei ao saber que era mentira. Eu ja acreditei em papai noel e mesmo as pessoas dizendo que nao existe, eu tenho minhas duvidas. Eu pensava que podia ser a Xuxa, colocando um batom vermelho com um rabo de cavalo alto, dancando em frente ao espelho. Eu ja acreditei que se eu me jogasse da janela eu voaria como uma super heroina. Ja cheguei a achar que minha mae faria leite com nescau pra sempre antes de dormir. Ja cheguei a achar que a lua era um biscoito gigante e que as estrelas eram flocos de neve. Eu ja dormi no meio dos meus pais por que tinha medo do bicho papao. Eu nunca pensei que aquele animo de acordar pra ir a escola iria um dia acabar, na verdade eu nao sabia ainda o que era estudar; so brincar. Eu ja pensei em fugir de casa e morar com o Peter Pan. Eu ja joguei moedas pela janela com o intuito de ajudar um pobre, achando que ele iria pegar. Eu ja chorei por dor de corte, dor de tapa, dor de caidas e dor de paixaozinha. Eu ja cheguei a pensar que o sol era um ovo frito e por isso comecei a gostar de ovo. Eu ja cheguei a achar que o berco da sala ia ser pra sempre so meu. Eu tinha medo de dormir com o armario aberto, nunca se sabe qm podia sair de la. Eu tenho medo de palhaco por que o meu de boneco me fazia espirrar. Eu nunca entendia por que quando via uma pessoa chorando e oferecia um biscoito, ela nao parava, afinal, era isso que minhae mae fazia quando eu chorava. Eu ja roubei e nao me preocupei. Eu ja brinquei com faca de churrasco sem saber que iria me cortar. Eu ja abri a gaiola de um passarinho pra deixar ele voar e ser livre. Eu ja chorei por quem nao merecia um pingo da minha lagrima. Eu ja quis dar uma de 'minha mae', peguei uma tesoura no banheiro dela e, antes de uma festa, picotei TODO o meu cabelo, passei(ou borrei) um batom vermelho e me escondi atras da privada. Eu ja achei que meu pai era um heroi quando 'matou' um fio de nylon rosa que eu pensava ser uma cobra. Eu ja senti poder. Eu ja dividi meu sorvete com meu cachorro. Eu ja sentei no chao da pracinha e dividi meu sanduiche com uma menininha de rua que eu adorava. Eu ja cheguei a pensar que tudo era pra sempre...
Ao longo da minha vida, eu acreditei em coisas, desacreditei em coisas e me decepcionei nao so com coisas, mas com pessoas. Fantasias, realidades sinceras de crianca, tudo isso foi passando e deixando alguma marca. Hoje eu olho pra tras e lembro de tudo que me fazia bem, tudo que me assustava e tudo que me abrigava. Todos que eu amava e aqueles de quem eu nao queria sair do colo. Olho pro presente e vejo erros incalculaveis, mentiras e falsidades me incluindo, brigas, caos, promessas falsas em relacao a tudo, passando por politica, amizade, amor... E depois de analisar, eu vejo que cresci. Aproveitei quase tudo que pude durante a infancia. Brinquei e acreditei no que pude, no que me fazia sentir alguma alegria. Eu era uma crianca, falar de fadas era coisa normal e todos achavam lindo. Entao se e assim, se um dia tudo acaba ou muda, e voce nao pode mais escorregar no escorrega, ou brincar no balanco por que ja esta um pouco grandinho demais, se voce nao pode sonhar acordada, chupar chupeta e mamar na mamadeira, se nao pode mais dormir no meio dos pais ou brincar de arte na escola, obrigada, eu nao quero crescer. Prefiro voltar como era antes, num mundo de conto de fadas onde os problemas, alem de ter feito coco na fralda ou ter derramado coca cola no chao, nao existem.

terça-feira, 28 de outubro de 2008

O problema é o meio ou a pessoa?

Como ja dizia Raul Seixas, 'faça o que tu queres pois é tudo da lei!'. Mas será que, fazendo o que se quer, voce nao estra infringindo as regras de sociedade ou regras humanas?
Por exemplo... se voce quer sair pelado na rua, as pessoas vao te olhar de outra maneira, vao achar que voce e maluco, isso na nossa sociedade. Agora, se voce for andar pelado em uma praia de nudismo, vai ser indiferente pras pessoas que estao a sua volta. Entao se voce realmente fizer isso na sociedade em que vivemos, em quem esta o problema? No observador ou no observado?
As pessoas adoram falar sobre os atos alheios, sendo que a sua opiniao pessoal as vezes vai em confronto com a da pessoa. Entao se eu gosto de andar com a calcinha em cima do shorte, por que isso seria estranho pras pessoas a minha volta? so por que alguem um dia falou que calcinha se usa em baixo do shorte e no dia seguinde todos usavam assim?
Onde quero chegar e que nos vemos muitos problemas nas pessoas, enquanto o problema pode ser ou estar na gente.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Kika nao se apaixona.



Nao e questao de ser fria, nem muito quente. Na verdade quente ela e, mas fria, so quando toma picole. Cabelinho curtinho estilo PinUp anos 50. Suas meias 7/8 com cinta-liga e seu olhar de menininha perdida. Quando sobe no palco sua energia faz-se em linha torta, quase como um bater de portas.

O mais interessante e abrir o peito (se e que podemos chamar de peito) dela e encostar em seu coracao que e grande, mas nao muito cheio. Senti-me bem quando me vi refletida la dentro, afinal, Kika nao gosta facil.

Eu ja disse que precisava comecar a andar mais com ela, afinal, quem e que ja viu a Kika morrendo de amores por alguem? Quem e que ja viu ela suspirar de paixao? Se alguem ja viu, por favor me digam, por que eu ainda nao vi nao. Eu sempre achei que, por andar demais com uma pessoa, voce acabava pegando as qualidades dela. Mas ate agora meu peito nao crsceu, minha boca nao inchou e eu nao parei de me apaixonar...

Talvez o lapis preto seja pra dar aquele charminho que toda groupie insiste em ter.

Enfim, se o tempo estiver a favor do universo hoje, ela com certeza vai encontrar as amigas maria e carol, os cachorros e o alcool. Caso contrario, estara sentada na sala de aula, sobria e entediada, esperando pela hora de ir a pracinha.

Eu cheguei numa conclusao: Se for seguir alguem no quesito amor, siga a Kika, afinal, KIKA NAO SE APAIXONA!


:)

domingo, 26 de outubro de 2008

Os outros somos nos.

-"Me ame por alguns segundos"
Alguns segundos apenas. Pra mim é o bastante...
-"Um homem grita contra o vento"
E sua voz parece ainda estar sussurando atras do corpo.
-"E as horas correm no relógio"
E com sempre estamos atrasadissimos...
-"Desesperados em segredo"
Segredo ou nao, nao e bom esperar aguem vir nos ajudar...
-"O MUNDO SOFRE MEU SORRISO"
Felizmente, nem tudo ta perdido.

"Por favor me de um beijo e grite um palavrao!
Por favor me ame agora mesmo sem razao!
Por favor me odeie por um pouco de atençao!"

"Preciso escolher um rosto para a ocasiao" (mascara e o que nao falta)
"E o mundo cai na minha mão" (Cai NA mao ou DA mao?)


(comentario da musica da banda 'Os Outros')

43

Hoje, domingo de sol, praia fechada, superlotacao e segundo turno!
Ele e a favor da legalizacao, tem ideologias comunistas, e a favor do aborto e da prostituicao.
Meio a meio. Tem coisas que eu nao concordo, mas realmente nao vejo escolha melhor.
Ele nem era tao famoso, quando eu o vi numa daquelas placas que vem atras daquelas bicicletas, com propaganda... eu olhei pra ele, ele olhou pra mim e eu sinceramente fui atraida por aquele velhinho sexy que tem a cara do velho do 'Jogos Mortais'. Nao demorou muito e o Rio inteiro ja tava cantando junto:
"O RIO E DE GABEIRA!"

e isso ai!

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Por inteiro pela metade.

Meu corpo esconde a humanidade.
As horas passam mas o tempo eh intacto
Meus sentidos agucados sentem cheiro de medo
Meus olhos dormidos falam palavras sem sentido.
La fora tudo e nada
E aqui dentro nada e concreto.
Uma luz de neon cega meus ouvidos
O caos cala minhas notas surdas
Desafina o meu som e entristece o meu dom.
Meus desejos de rotina nao me satisfazem mais
E aquele astral desaparece como fumaca no ar.
Meu mar agora seca e o mundo nao ve, afinal,
Meu corpo esconde voce.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Até que ponto o teu olhar não é o olhar dos outros?

Pare para pensar nos teus atos em geral, desde escolher tal roupa pra ir a tal lugar, passando pela orientacao sexual e chegando até o seu ´eu´.
Somos pessoas influenciadas de alguma maneira, pelo meio em que vivemos e as vezes nao temos nocao disso. Dentro de nos, existe o conciente e o subconciente. Dentro do conciente, estao as coisas claras, que voce consegue perceber. No subconciente, estao guardados desejos, lembrancas e coisas que nao fazemos ideia... Ao fazer uma escolha, seja la qual for, voce ja parou pra pensar se e isso mesmo que VOCE quer? ja parou pra pensar se nao esta fazendo isso por outro aguem, ou PARA outro alguem? E dai que surge minha questão.
Eu sempre tinha aquele papo de que nao sou influenciada pela sociedade, mas nao tem jeito, a gente acaba sedendo de alguma forma, pois querendo ou nao, fazemos parte dela. Dai entao nos nos igualamos em algumas coisas e, mesmo que nao seja esse o caso, acabamos fazendo algo por vontade alheia, achando que estamos fazendo por nos mesmos. Quantas vezes voce ja se pegou arrependido de ter feito algo e depois parou pra pensar e viu que nao era aquilo que voce queria ter feito, que foi impulso, coisa de momento? Enfim, aonde eu quero chegar, e que antes de falar, agir, fazer, temos que pensar. Nao so usar o conciente, mas tambem, tentar usar o subconciente, afinal, ele faz parte de nos. Nao e tao dificil assim chegar a ele, e so querer. Nao deixe os outros falarem por voce, use seus olhos nao so pra olhar pra fora, mas tambem pra olhar pra voce. Nao permita que o teu olhar seja fruto do olhar alheio, isso pode fazer voce perder sua identidade.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Eco das almas

Bem longe daqui, onde a areia era agua, os passaros rastejavam, os peixes voavam e o fogo congelava, haviam almas. Almas de pessoas que um dia ja viveram, almas daqueles que um dia ja sofreram e deixaram nesse lugar o grito eterno dos pedidos de socorro, doa berros de desespero.
Esse tal lugar, chamado de 'beco do eco das almas perdidas' e simplesmente aterrorizante! Ao ponto de enlouquecer seus ouvidos e tomar conta de voce.
Se quer saber o por que desse nome, nao e dificil raciocinar. La viviam vidas mortas, pessoas que viviam mas se autodestruiram. Era um lugar onde nada era real, logo, nada existia. Nao havia som, pois ele nao se propaga no vacuo. Nao havia luz, pelo mesmo motivo. consequentemente nao havia imagens. Nao se via, nao se ouvia, nao se vivia. Simplesmente voce enlouquecia! Quando finalmente viram que nao havia mais jeito e que a solidao estava matando ate os defeitos, todos fizeram um pacto de morte alheia, ou seja, um matava o outro e assim, sucessivamente, ate restar apenas um que se suicidaria. O por que? Eles acreditavam que seria muito melhor do que viver sozinho entre aqueles homens cheios de solidao. Dito e feito. Hoje, indo a esse lugar onde a luz cega, o gelo queima e o silencio ensurdece, podemos ouvir o eco daqueles que um dia gritaram por socorro... Daqueles que um dia perderam sua voz naquele 'nada'. Um caos sonoro muito forte. E como gritos de 6 milhoes de pessoas juntas, um silencio nao-mudo. Podemos ouvir a orquestra ensurdecedora, como 'A fuga' de Beethoven, acabando com os timpanos de nos, que ingenuamente, agora, conseguimos ouvi-los. Tarde demais, eu diria...
Esse lugar hoje tem alguns codinomes, como 'conciencia propria' ou 'mundo', para ser mais exata, 'universo' (interior ou exterior).

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Outubro

Era o meu decimo sexto rumo ao ceu,
Quando simlesmente as luzes da rua se apagaram e o brilho da lua decidiu se esconder atras das nuvens pretas que infernizavam o meu dia. Para meu bem-estar, olhei a praia, encharcada de conchas brancas e sem ondas e tive um pouquinho de prazer.
Ouvia a prece daquelas aves que rodeavam o ceu, trazendo-me a confortante notcia de que choveria esta noite. Ouvia o grito surdo dos carros em pleno transito e meus dentes se espancavam de tanta angustia.
A cidade adormecia e eu, imovel e instavel, nao sabia ao certo o que sentia. Eu so odiava ouvir aquela poluicao que estourava meus timpanos e me deixava cada vez mais pra baixo.
Meu aniversario comecou com uma bela surpresa, alguns bons amigos e uma mae maravilhosa. Ate ai estava tudo otimo, surpreendentemente eles haviam mesmo conseguido me tirar do tedio mortal que insistia em me preencher. Foi uma noite boa, mas a lua queria que queria descansar, afinal, ja tinha bebido muito!
Outono de outubro... As vezes so de pensar que cai sempre no outono, ja me da uma sensacao tao boa, como se eu fosse abencoada pela natureza, ou algo assim.
Enquanto os homens depertavam, eu estava sentada na pedra vendo o raiar do dia, sentindo aquela brisa que me envolvia e aproveitando o meu dia de outubro. Perambulei sem rumo pela minha mente, ate que senti um teco na minha cabeca que nao me deixava em paz. Irrelevei.
Quando finalmente as pocas nao mais se enchiam ou se mechiam, pude voltar a caminhar sobre os cantos do arpoador. O tempo passou tao rapido, que eu esqueci de voltar pro mundo e, quando o fiz, A luz solar ja estava se despedindo. Como um presente, as nuvens pretas se abriram e eu pude assistir naquele palco azul, aquela bola de fogo laranja beijar o mar e se ir para no dia seguinte voltar.
Para finalizar minha ida ao ceu, abri meu horoscopo e descobri que os librianos estavam com o vento girando pro sentido contrario e, com isso, o tempo pareceria estar rodando em circulos. Calei-me, afinal, quem sou eu paradicutir com os planetas do universo?
Assim que o ponteiro do relogio marcou 23.59h, eu desci da estrela cadente e pedi que no proximo ano fosse mais intenso. Pedi que fosse dirente.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Ilusão

Imagine que o ceu e um oceano gigantesco e que estamos o vendo daqui da terra. Dentro desse mar gigantesco, vemos as perolas brilharem facilmente e as chamamos de estrelas.Se pudessimos mergulhar nesse mar, certamente nao conseguiriamos toca-las mas ainda sim, poderiamos ve-las. Estamos aqui na terra e ao olhar para frente, nao vemos as perolas.Mas pense se pudessimos voar; La de cima, conseguiriamos ver as perolas que, daqui da terra, nao podemos ver. Elas brilham tão forte que sua luz nos cega e so conseguimos vê-las quando estão distantes. Essas pérolas somos nós. Da mesma forma que, de outro plano, é possível ver os humanos como pedras preciosas, as estrelas do céu que vemos da Terra podem ser um reflexo de nós mesmos ou um universo paralelo ao nosso, como se elas pensassem o mesmo de nós quando olham para seu próprio céu, ou seja, nossa Terra. A estrela cadente é uma estrela que precisa se mexer, mudar de lugar com um objetivo. Fazer um pedido equeivale a mudanças e iniciativas e atitudes. ela precisa sair da zona de conforto e segurança.
Tudo tem um motivo. O pedido da estrela cadente implica numa mudança futura que determina o resto da sua vida. Ela estava lá pra você. Por exemplo:voce esta olhando pras estrelas, quando de repente ve uma estrela cadente. Então, normalmente, você fará um pedido a ela. Esse pedido, se realizado, mudará sua vida pra sempre, levando-te a um caminho que antes do pedido, era desconhecido. ou seja, o mito que nós inventamos de que uma estrela cadente tem a magia de realizar desejos, muda completamente o nosso futuro a partir daí e nossa crenca nela é totalemnte intencional na persepctiva do ´eu´ de fora.
tudo que tem a nossa volta é uma convenção. Olhando pras estrelas, tudo é mentira, é invenção. Se nós invntamos as estrelas, foi com um objetivo. Se olharmos nosso reflexo, ou seja, as estrelas do céu, e se nós fomos os inventores das mesmas, veremos que nós também fomos uma invenção nossa. Nós somos pura ficção.
Nos inventams para nos livrarmos do tédio. A vontade própria surgiu daí, mas não temos consciencia disso, foi programado antes de ser inventado para que a graça não acabasse. Antes de nascermos em certa vida, tivemos outra que terminou por causa do tédio. Inventamos a morte para termos novidades, não cansar da vida.
Uma estrela morre para trocar de lugar, trocar de plano, de universo, ir para um paralelo, onde outra estrela (um humano que trocou de plano) nasce. Exemplo: Se aqui na terra eu morri, lá no ceu uma estrela também morreu. Mas no lugar dessa estrela, eu nasci, e no meu lugar, a estrela se renovou em forma humana.
Por que o homem nunca conseguiu alcançar uma estrela? Elas não podem nem devem ser alcançadas; elas são uma versão de nós em outro tempo. Alcançando as estrelas todas as respostas do universo seriam respondidas, o que também acabaria com a graça de tudo. Nós não permitimos que isso aconteça, tudo foi programado pelo eu "de fora".
A arte é uma expressão do nosso subconsciente, que tenta mostrar o que nós mesmos não entendemos.
Como surgiu o mundo? se pararmos pra pensar, ele pode nao existir. Pode ser apenas o presente. Podem ser momentos perdidos num espaço transaprente. Se pararmos pra pensar, só o presente existe. o passado está apenas vagando na nossa mente, nossa mamória. nós podemos ter inventado sem saber e ter tornado realidade para nós mesmos. o passado não é algo material. não é algo que voce possa provar a existencia e falar: é, isso realmente aconteceu. por que não pode provar? seilá, você consegue voltar no tempo? por que não? é exatamente o ponto: nao podemos voltar em algo que nunca existiu! mas o futuro é verdade; é o presente. tanto que estamos nele a cada segundo, milésimo. se formos analisar, o meu fututo daqui a um segundo, ja é o meu presente. e eu consigo chegar a ele involuntaria ou voluntariamente, como um linha eterna.

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

A menina sem rosto (ou cerebro)

Ela dizia estar feia. Na verdade ela era feia, mas a maquiagem sempre faz milagres e ela sinceramente estava de 'parar o transito'. Mas pessoalmente, as pessoas pra mim se tornam bonitas a partir do momento em que sobresai seu interior. Ela nao achava seus olhos, nao encontrava o nariz, nao enchergava a boca.. Quem sabe seu espelhinho-de-bolsa estava quebrado? Ou as plasticas e o botox nao deram certo?
Bom, ontem ofereci a ela um gole de coca e ela recusou, dizendo-me que teria celulites. Nao havia expressao em seu rosto, simplesmente ela nao queria beber. Ofereci-lhe entao uma caipirinha. Nao fez cara de nojo, simplesmente me disse que alcool engordava. Fiquei quieta. Olhei para suas unhas feitas, pintadas de vermelho e pensei: aposto que ela nao sabe que esmalte envelhece a unha. Olhei pra ela e pedi pra que ela abrisse a latinha de coca pra mim, pois minhas unhas ruidas nao me permitiam faze-lo. E la veio ela com a desculpa de 'ah, vou estragar minhas unhas'. Eu ja estava ficando de saco cheio!
Estava ventando e eu ja sentia que ela estava meio encomodada com o fato de o vento estar baguncando seu cabelo. Comecou a chover, e como se fosse MINHA culpa, ela me chamou de todas as merdas possiveis como se eu fosse a culpada de ela estar la. Peguei minhas coisas e fui embora, nao pelo fato de ela ter descontado sua vaidade em mim, simplesmente por saber que as pessoas ainda sao assim e estar puta de ter estragado minha noite por algo tao desnecessario.
Peguei minha coca, sentei no sofa e comecei a escrever, quando recebo uma mensagem dela dizendo: "So, por que voce ficou puta? Eu nao tenho culpa de ser tao 'geracao saude'. Seila sabe, voce nao se cuida e nao quer que eu me cuide? Nao gosto de receber seus chocolates de aniversario. Alem disso, voce bebe chopp e quer que eu beba tambem. Voce sabe quantas calorias tem uma coca? me desculpe, mas eu acho que prefiro ir pra academia a sair com voce."
Depois de rir MUITO por dentro, me baixou um desespero ao saber que existem, com certeza, pessoas muito piores, e fiquei pensando o que responder a ela. Olhei em volta, vi uma coca cola vazia e um cigarro... Respondi: "Meu amor, por que voce nao vai fumar um cigarro e beber uma coca? Acelera seu processo de limpeza, e olha que nao vai nem ter que pagar salao, no bar da esquina voce so gasta 5 reais" ;D

Aonde eu quero chegar com esse texto? Seila, eu nao sei se vou chegar a algum lugar, mas eu so quero jogar pra fora o que fica dentro de mim. As pessoas se cuidam muito, se cuidam tanto que esquecem que fora da janelinha do salao, do lado de fora da sala de spinning, tem uma vida. A alguns passos tem uma praia e do lado uma farmacia que vende protetor solar pra que voce nao tenha cancer de pele quando ficar mais velha e para que nao de aquela desculpa idiota de que sol envelhece a pele, so pra nao ir a praia ou pra nao ficar enrrugada... E obvio que eu quero saude, mas na medida do possivel eu faco por onde. O que me importa mais eh viver, por que la na frente, mesmo que eu nao tenha um corpo bonito com pernas grossas e durinhas, e a cinturinha fina com um bumbum no lugar, as unhas sempre feitas e o cabelo arrumado, eu vou ter o que mais importa pra mim, que e cabeca. Nao quero ser aquela pessoa futil que nao sabe o que significa evolucao e nao tem conversa. Eu quero evoluir mentalmente e quero ser gente. Serio, eu gosto muito de maquigem, mas adoro um chocolate e se fosse pra escolher entre malhar e beber, acho que voces ja sabem o que eu escolheria, ne?
Enfim. Nao sei se me expressei bem, por que tem varias criancas gritando do meu lado agora e nao consigo me concentrar.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Os dentes finalmente deram as caras!


Mais ou menos 2 meses...
Dois meses sem seus beijos, Dois meses sem seu cheiro,
Dois meses sem sua voz, Sua pele... Dois meses em vao.
Dois meses sem alguma reposta, alguma posicao e mesmo assim tudo era como costumava ser.
Dois meses sem sua atencao, perdida procurando alguma explicacao pra o que na verdade aconteceu sem muita razao.
Mas nossa energia falou mais alto e o tempo fez mais por nos dois.
Hoje, ha mais ou menos 2 horas atras, meu coracao voltou a bater, meu corpo respondeu aos meus comandos e eu pude sentir de novo voce por inteiro.
As coisas sao como elas devem ser e nao se pode tentar mudar o que nao eh 'mudavel'. Foi muito bom ver voce rir de novo comigo e eu me senti como se tivesse renascido.
Obrigada por me devolver voce.
Voce ressucitou o que eu achava que ja tinha mudado de plano; meu sorriso.
Se ainda tem duvidas que o meu amor por voce ainda existe e nao mudou, acredite nas minhas palavras: eu te amo alem do imaginavel.

D.D.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Gula de você

Me dê cada pedaço de você,
Cada parte pr´eu te ter.
Eu quero tudo
Todo o ar que você respirar,
Todo passo que você andar.
Quero todos o segundos da sua atencão
Sem desviar os gestos.
Eu quero ser você
Testar você.
Tudo é pouco pra mim
O que eu quero é tua vida até o fim.
Quero me fundir com você
E ao te tocar, me perder.
Nao me contento com o tudo,
Os gritos pra mim são mudos
O auge pra mim é fundo
Quanto mais melhor.
Não me contento em te ter por inteiro
O que eu quero vai além do desejo
O que eu preciso desafia o infinito
É como eu ter que te devorar.
Eu quero amor verdadeiro
E o seu passeio em mim ao corpo inteiro.
Quero testar teus anseios
Beijar todos os teus beijos
E ansiar a cada exagero.
Quero os defeitos, erros e acertos
Eu quero o tudo, o nada e o meio-a-meio.
Eu quero toda chuva que caír do céu
E o suor que corre como em réus.
Cada textura, cada linha torta,
Quero prazer quando abrir-lhe a porta.
Eu te quero do mesmo lado do espelho
Pra que os reflexos mostrem os desejos.
No meu corpo quero sentir seu medo
Quero seu cheiro em mim correndo os dedos.
Que os olhares enfim se percam
E se encontrem de um so jeito
Pra que eu possa pecar sem anseios
E te roubar pra mim de corpo inteiro.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Cerebral

Vamos enterrar as magoas num derrame,
Tentar viver a vida a base de calmantes,
Vamos aplaudir a estupidez do homem
E tornar os sonhos meros figurantes.

Vamos arrancar do rosto um sorriso,
Depois jogá-lo ao alto de um abismo.
Vamos sofrer calados pelos cantos,
Antes que a solidao nos torne santos.

Vamos achar em nos a nossa alma,
Se é que existe, triste, que insiste.
Vamos perder de vista as criancas,
Que é pra acordar e levantar da cama.

Vamos marchar em direcao ao nada,
Seguir a luz que ilumina a estrada.
Vamos pular sem ver o chao, a agua,
E depois disso nos sentirmos vivos.

Vamos abrir os olhos e usá-los,
Nao so pra ver, ou crer, Mas pra saber.
Vamos positivar a nossa mente,
Tentar mudar gente como a gente.

Sentir a brisa da poluicao
Talvez nao seja a melhor solucao.
E quando a sede vier ressecar,
Talvez nao tenha chuva pra molhar.

Aplaudiremos essa sensacao,
É a politica em plena sucessao.
O medo de tentar é bem maior,Ja que nao pode nem se quer sonhar.

sábado, 4 de outubro de 2008

Eu to sempre por ai...


Hoje eu tava sentada em frente ao mar, de noite, e andei pensando um pouco em mim. Pensei um pouco na minha vida e nas coisas que andam acontecendo. Em como eu perco chances grandes e me preocupo muito com coisas pequenas. Em como eu, muitas vezes, perco segundos de momentos preciosos e raros, ajudando alguem seja no que for. Tempos que nao podem ser perdidos assim mas sempre acabam passando... Em como as pessoas sao falsas e as vezes tentam te deixar la em baixo pra conseguirem se sentir superiores. Em como eu sou 'cega' e ao mesmo tempo deixo as coisas passarem. As vezes eu deixo passar tanto, que acabo me fodendo e mesmo assim nao aprendo a licao. Ando me arrependendo muito das coisas que faco ou deixo de fazer e das coisas que eu deixo de falar por medo. Eu to sempre por ai... Minha mente toma caminhos estranhamente bizarros e se eu to aqui agora, tenha certeza que se voce olhar pra tras eu posso ta sentado na sua cama... e eh assim que funciona sempre. Se eu to aqui, eu to ali.

Olhei as ondas quebrando em direcoes contrarias, se encontrando e me vi perdida ali, no meio dos dois sentidos sem saber pra onde ir direito, sem saber que caminho seguir. Tenho certeza que o melhor psicologo e a melhor terapia que existem, e a natureza. Pra mim pelomenos... Tenho muito medo de machucar as pessoas, mas sempre quem acaba machucada sou eu. Isso desgasta qualquer ser humano e depois de algum tempo, voce comeca a ver o peso que isso faz nas suas costas e aquela feridinha que voce achou que ia fechar com um pouco de antiseptico, fica maior e maior a ponto de ser um sacrificio de fechar.
Eu tenho tentado muito me apoiar nas pessoas, mas nem sempre eu encontro alguem... O que me conforta MESMO e saber que tem pessoas que dariam a vida por mim, assim como eu daria por elas. Uma delas e a minha mae... Uma coisa que ela sempre fala pra mim e agora eu percebo, eh que 'as mascaras das pessoas sempre caem um dia'. Infelizmente eu conheci muitos 'mascarados' em muito pouco tempo... acho que eu conseguiria ter substitutos pro fantasma da opera pelo resto da vida, mas enfim.
Eu observei as estrelas e como elas sao distantes umas das outras, mas o brilho delas sempre se encontram.. Isso me fez pensar das pessoas que eu amo, mas nao tenho tanto contato, mas que sao quelas em quem eu sempre penso ates de dormir. Eh como se o brilho dessas estrelas, tocassem em mim de uma forma tao boa e confortante que eu absorvo toda energia boa que elas me trazem e isso e alguma das poucas e significantes coisas que me fazem continuar.
Eu olhei o horizonte e tentei comparar comigo.. eu fico pensando aonde aquilo ali vai parar?! E eu sempre falo pras pessoas, que se elas quiserem chegar a um lugar, ter um destino certo, que nao sigam atras de mim, por que eu nunca sei onde eu vou estar. Minha mente e um labirinto e eu to sempre em qualquer lugar.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Uni duni tê

Escolhi nao deter a a dor, escolhi o norte, escolhi a sorte.
Escolhi nao morrer de amor, nao viver sem cor, nao curar o corte.
Escolhi a mira, escolhi a morte, escolhi gravar e guardar nas fitas.
Escolhi a verdade, enterei a mentira, escolhi meu batom, meu ar e um som.
Escolhi a rua que vira aquela esquina. Escolhi o ceu, o mar e as rosas.
Escolhi sorrisos, escolhi manter o calor, escolhi o cobertor, pra nao morrer de frio.
Escolhi a calma, escolhi a alma, a magia rara e os beija-flores.
Escolhi o rock, escolhi o classico, escolhi ouvir, mas tambem sentir.
Escolhi poetizar, escolhi a bossa, escolhi a nova e tambem a prosa.
Escolhi algo mais, algo a mais, algo demais.
Escolhi agir e contradizer. Escolhi crescer, morrer e renascer.
Escolhi voce, escolhi a mim e escolhi ter sido assim.
Escolhi pimentas, escolhi chapeus. Escolhi as crias cobertas por veus.
Escolhi errar e nao planejar, escolhi cair e me levantar.
Escolhi nao ter que escolher, escolhi apenas poder viver.
Escolhi nao escolher a vida, apenas deixar que ela prossiga...

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Desafiando Shakespeare

Ser ou nao ser, eu nao sei.
Sei que cegamente sou o que quero ou nao ser.
Ser seria saber,
Nao ser seria morrer.
Sou e nao sou; prefiro viver.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Se as pedras do arpoador falassem...


Se essas pedras falassem
Se contassem cada vez que eu as pisei e os motivos pelos quais eu o fiz
As vezes que ajoelhei e por alguem eu chorei
E tudo que eu ja lhes falei, mesmo sabendo que nao ouviriam,
Os dias em vao em que sua dura pele me acolheu
As queimaduras de cigarro que nao foram poucas...
Se essas pedras falssem,
Contariam os dias em que sonhei sem poder ter o mundo de fora
Os amores que subiram e um dia desceram
As cinzas que eu joguei la de cima, pra que fossem levadas pelo mar.
Contaria das comedias ultrajantes,
Dos suspiros ofegantes, Dos beijos e amantes,
Contaria historias errantes e eu teria que tomar alguns calmantes.
Se essas pedras falassem,
Ja teria perdido a conta de quantos sois eu vi descer,
Quantas luas eu vi nascer,
Quanta chuva ja pegamos juntas
Nos dias em compania ou de solidao.
Relataria alguns fins e recomecos,
Um violao, voz e isqueiros,
Tensao e paz, medo e receios
Relembrariam tudo que ja vi e senti la em cima.
Se essas pedras falassem,
Com certeza saberiam minha vida de ponta a cabeca
Seriam meu diario, meu refugio,
Me lembrariam de dias que eu preferia esquecer
E nao me fariam esquecer dos dias que eu teimo em lembrar.
Se essas pedras falassem,
Eu realmente estaria fodida.

domingo, 28 de setembro de 2008

O segredo das rosas vermelhas




Andando por entre um jardim cheio de flores, senti de longe, mesmo misturado com todos aqueles aromas, o cheiro hipinotizante daquelas rosas vermelhas. Desde pequena, me encanto com elas. Quando vou meditar, sempre tenho no bolso, na mao ou em algum lugar, uma petala de rosa. Se me perguntassem o que eu gostaria de ser se nao fosse eu mesma, eu responderia que seria uma rosa vermelha.
As rosas sao misteriosas, as vezes reveladoras. Sao as flores mais bonitas na minha opiniao, e seus espinhos so as fazem ficar mais misteriosas, mais instigantes. Como uma coisa tao bonita, pode ter tantos espinhos e ser, ao mesmo tempo, linda e perigosa? E as vezes as rosas sedem sua protecao, para fazer um simples agrado, para completar um simples gesto humano. Um gesto de amor. O que me chama muita atencao e que, o simbolo de um coracao ja perdeu lugar para a rosa vermelha, quando se fala em amor. Para presentear alguem que voce ama, uma rosa seria perfeita, como se voce colocasse em uma flor, todas as qualidades de sua amada. As rosas exalam vida!
Acredito que as rosas, que transbordam sangue vivo, guardem dentro de si, milhoes de segredos que as vezes escapam por suas raizes, mas nunca a deixam. E talvez seja por isso que me identifico tanto com as rosas vermelhas, talvez por parecer com elas e as vezes machucar as pessoas que se aproximam muito de mim. As vezes acabo deixando uma marca em alguem, de algo doloroso que fiz sem querer, como se ele tivesse esbarrado em um jarro de rosas vermelhas e para nao as deixar cair, segurou-as forte com a mao e acabou se cortando... O que eh eu nao sei, so sei que nunca descobriremos o segredo das rosas vermelhas.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Meu medo é minha arte

Escrevo por que gosto, Vivo por que escrevo.
Nao aguentaria o peso do meu pensamento preso apenas na minha cabeça, por isso escrevo.
Nao aguentaria a dor e os sentimentos presos no meu corpo, por isso escrevo.
Nao me restaria espaço, se tudo que eu imagino, ficasse apenas na imaginaçao, por isso escrevo.
Escrevo por ter vontade de viver, e por ter medo de perder. Escrevo pra nao ficar louca, nao me sentir presa. Escrevo pro universo dentro de mim, pra exercitar a caneta, a borracha e o papel.
Escrevo ate por o medo do escuro, de palhaços ou de vultos.
Escrevo por voce, por mim, pra nós. Escrevo o que tenho vontade, sem compromisso ou obrigaçao, sem critica ou aprovaçao, sem destino ou razao. Simplesmente me mantem viva.
Nao precisaria de mais nada com papel e lapis na mao, por isso escrevo.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Nando e seu mantra, inspiracao de reis.

Quando você nao tiver mais nada, nem estrada nem chão,
ou algo que te proteja, seu coração despertará.
Quando tiver tudo em suas mãos,
Ouro, prata e muros, Sua conciencia pesará e enfim adormecará de tão pesada, tão cansada
e quando acordar estará no mesmo lugar,
Na mesma casa, no mesmo jardim, no mesmo planeta.
Quando não se tem nada, não se perde nada. Pode ser o que for, você estará livre do medo.
Quando voce acabou com tudo, até sua alma, forma e conteúdo,
Voce conseguira dar amor. Receberá da luz a visão, do escuro tensão,
Das lágrimas sal, de você imensidão. Do sol o brilho, do vento espiral, da morte seu dia final.
Quando não tiver chão nem estrada, seu coração acordará.

domingo, 21 de setembro de 2008

As vezes é preciso saber ser louco!

Escolhi a vida como meu plano de sonhos. A partir daí, ja me acho insana. Não tenho uma definição certa para tal palavra, a ponto de poder definir outro ser humano além de mim mesma. Digo definir, não generalizando.
As vezes penso que estou dormindo e que toda a minha vida, não passa de um simples sonho vindo de correntes subconcientes. Talvez eu esteja agora deitada em uma cama de hospital em coma, recebendo visitas dessas tais pessoas que constituem minha ´vida real´. Talvez eu esteja criando em mim, um envoltório de dependência, do qual necessito para manter-me viva de algum jeito. Tirando a inormalidade dessa situação e seus padrões de alucinação, fora os olhos tortos e a boca seca, tá tudo bem pra mim.
Limito-me ao confortável. Sempre que posso, conforto-me severamente em algum espaço neutro dentro da minha mente. É loucura! Você nao deve fazer idéia de como é estar neutra dentro de você mesma. É como não ter saídas ou alternativas. É como ter rendomas de vidro te envolvendo e estar nua no meio disso tudo, com medo de quebrar o vidro pra saír e se rasgar.
É preciso as vezes soltar sua raiva em público, para que absorvam um pouco de você. Gritar, eu diria. Gritar até ficar sem voz! Jogando tudo pra fora, seja lá o que isso for: voz, vômito ou o coração.
Além de se manter intacto, tente se manter inteiro. Além de se manter inteiro, tente se manter vivo, nem que precise de outras substancias pra isso. Se tal coisa conseguir, nao leve como uma loucura e sim, como uma vitoria. Seila. Loucura seria nao morrer de amor, nao sofrer pela dor da perda ou da saudade. Por outro lado, isso tudo e uma completa loucura.
Estamos andando nos padrões da normalidade, passo a passo. Julgamos os loucos insanos, mas se fosse assim, seriamos todos insanos, o que, pessoalmente, seria muito mais interessante. Eu nao sei onde quero chegar e nao sei mais o que e normal. Mas como Sócrates já disse: As vezes é preciso saber ser louco!

sábado, 20 de setembro de 2008

Oi, tudo bem?

Oi! Tudo bem?
Tudo bem...
Fora o tédio que me consome todas 24 horas por dia!
Fora a decepção de ontem, a decepção de hoje e a
desperança crônica do amanhã!
Tenho vontade de chorar, raiva de não poder!
Quero gritar até ficar rouco, quero gritar até ficar
louco!
Isso sem contar a ânsia de vômito, reação a tal
pergunta idiota!
Fora tudo isso... tudo bem!

(Garotos Podres)

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Tomando um chopp com Bush e Napoleão

Bela aula de hisória, uma das raras matérias em que eu me esforço pra prestar atenção na escola, não só por causa da matéria, mas também por causa do professor que é muito, digamos assim, experimental (como diria a Sabrina). Enfim, estudando a Revolução Francesa, chegou em um ponto em que falamos de Napoleão. Pra quê? Foi um banho de rosas pra minha super e fértil imaginação:

Tudo começou quando conheci Bush numa festa punk, daquelas onde tem rodinhas gigantescas e as pessoas morrem perfuradas pelos moicanos gigantes e pontudos dos punks. Tinham tantos punks sexys que acabou que nenhum me interessou... era tudo tão igual! Quando então, eu decidi sentar pra beber minha cachaça e cheirar minha carreirinha. Eu me lembro bem, estava tocando Sex Pistols e eu estava muito bem, balançando meus cabelos no rítimo daquela música vibrante. Lembro-me de ter perdido meu dinheiro e do cara do bar ter se recusado a me dar mais uma dose de graca.. eu tirei minha blusa, mas o cara não sedeu, fazendo eu chegar à conclusão de que ele era gay. Enfim, fiz um escândalo... Quando derrepente sinto alguém passando a mão na minha perna. Como eu não sou vagabunda nem nada, virei para ver quem era, sem antes dar um belo chute em seu nariz. Quando eu ví aquele senhor de idade, de terno, não deu outra. Além de me pagar mais 4 doses, ele ainda fortaleceu meu pó. Depois de transarmos loucamente, me apaixonei por ele. Ele me levou pra casa dele: Era um casarão branco, parecia um palácio. A cama era do tamanho do meu quarto e tinha champanhe em cada esquina... Vários seguranças muito gatos, mas eu só tinha olhos para o meu Bush que, mais tarde, se tornaria meu noivo. Depois de ter contratado um dos meus amigos (o killer punk) para matar a mulher dele com seu poderoso moicano e seus spikes, nós nos assumimos à emprensa, oq ue foi notícia por muito tempo, até enventarem a tal briga babaca com o Iraque. Eu não entendia qual era o problema de Bush! A gente não transava mais, ele não tinha mais tempo pra mim e esquecia de comprar meu pó e minha bebida. Quando fui perguntar o que havia acontecido, ele me disse: Me desculpe, mas estou muito envolvido nisso, ´estamos´ no Iraque procurando armamentos mas eles escondem muito bem!
Pe-ra-í! você disse ESTAMOS? Quem está no Iraque são os seus capengas.. você é uma bicha frustrada que tem medo de enfrentar de frente e com as suas proprias maos, por isso manda outros o fazerem por você. Quer saber? está tudo acabado - eu disse à ele com um ar de ´amanhã eu volto´, por isso acho que ele não ligou muito.
Saí de casa. Era noite de sabado e estava chovendo. Coincidentemente era dia do Punk fest,onde eu conheci Bush. Não pensei duas vezes e, quando percebi, estava dando papo para um baixinho de 1 metro e meio que me pagou cachaca e me forneceu maconha. Não era muito do meu interesse, mas até que ele era simpático. Perguntei seu nome:
Napoleão- disse ele, orgulhoso.
Não deu outra, acordei ao lado dele numa cama confortável.. Nâo lembrava muito bem do que havia acontecido, mas fazia idéia. Olhei para ver se era grande e me assustei com ´a resposta´. Ele então teve que ir pra uma guerra no passado: entrou em sua máquina do tempo, subiu em seu cavalo e, corajosamente estava na frente de seus guerreiros quando o ouvi gritar: " Se eu for na frente, que me sigam; Se eu recuar, que me matem!" Aquilo foi tão sexy que me encheu de Tesão e entao eu decidi que ficaria com Napoleão. Decidi então abrir o jogo ao Bush, convidando-o para tomar um chopp comigo e meu novo namorado. Quando chegamos no bar, adivinhem só: Bush tinha sido deposto e Napoleão foi castrado.... Foi o fim pra mim!
Até hoje tenho o pênis de napoleão conservado em minha estante e a língua de Bush, para... para... Ah, não importa.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Sobre contentar-se, literalmente.

Contentação. O sentimento que eu menos queria sentir, como em um passe de magica, tomou conta do meu corpo. Não sei bem certo se o coração ou a razão, só sei que me contentei. Me contentei em chegar e ver ele me ignorando, mesmo sem querer, seja por orgulho ou puro medo. Me contentei a não deixar meu orghulho transparecer por completo para que eu não torne tudo irreversível. Me contentei em ver sua foto presa na minha porta e me negar a ter qualquer tipo de reação, mesmo que as lágrimas continuem insistindo em molhar meu rosto. Me contentei em respirar o mesmo ar que ele, em estar nos mesmos lugares que ele e mesmo assim conseguir sorrir sem ele. Me contentei em passar meu tempo tentando tirar ele da minha cabeça sem sucesso. Me contentei em pensar que ainda é verdade, mas que ele precisa mesmo de um tempo pra ele. Me contentei em pensar que ele não quer me machucar, mesmo que com isso, ele esteja me matando. Me contentei em pensar que tudo vai se resolver, por bem ou por mal, um dia nós dois vamos perceber que precisamos um do outro. Me contentei em calar minhas dores e enterrar minhas mágoas, por que afinal, dele eu guardo muitas lembranças boas. Me contento em pensar que ele pensa em mim, mesmo sem as vezes acreditar, não nele, mas em mim mesma. Me contento em respirar e tentar ficar bem a cada ´flash´ dele na minha cabeça, por que afinal, eu penso que se ele não estivesse aqui, mesmo estando um pouco longe, eu estaria acabada. Literalmente. Mas afinal, as pessoas são apenas pessoas e é por isso que elas erram tanto.

sábado, 13 de setembro de 2008

C17H21O4N

Nao sinto nada. Nao quero nada. Nao penso em nada. Nao faco nada.

Nao vejo nada. Nao ganho nada. Nao sonho com nada. Nao vivo nada.

Nao perco nada. Nao tenho dores. Nao tenho raiva. Nao tenho nada.

Nao sinto mal. Nao sinto a boca. Nao va embora. Nao quero nada.

Nada. Nada, Nao sou nada. ..,.,.. _____________________

domingo, 7 de setembro de 2008

O equilíbrio de um sábio

Busco o equilíbrio, pois acredito que nele encontrarei o que eu quiser encontrar. Acredito que sábios, sejam aqueles que conseguem manter-se em equilíbrio sempre, em qualquer situação. Acredito também que, para isso, é preciso que sua mente esteja sempre acompanhando seu corpo; Sua mente tem que sempre estar onde seu corpo estiver. Sendo assim, não terá esperanças, ou medo... Não terá desejos, ou raiva... Não terá ódio, pretenção... Se tem muito, seja dinheiro ou qualquer coisa contável, não viverá a vida com medo de perder tudo ou de ganhar mais. Você simplesmente viverá apenas para o presente, aproveitando cada milésimo de segundo, pensando somente no agora. Você não viverá para o futuro, não entregará sua vida para o futuro. Seu corpo e sua mente, estando sempre no mesmo lugar, te proporcionarão um equilíbrio que curará suas dores, e te fará saber viver como sábio, no agora e não no depois. Você conseguirá controlar sua mente, estando em sintonia com você mesmo, o tempo todo.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008


A lucidez é o grande enigma do homem.

domingo, 31 de agosto de 2008

Teu brinquedo




Eu poderia dormir por milhões de anos pra acordar e não te ter mais aqui, mas isso seria o fim do mundo pra mim.


Eu fechei os olhos pro mundo e mirei só em você. Várias promessas, Tantas palavras, Tantas desculpas e foi assim que tudo caiu por terra. De repente você deicidiu dar uma de relógio e me pedir um tempo. Decidiu controlar os segundos como se fossem apenas seus e não pensou duas vezes, mesmo sabendo (ou não) que poderia me perder pra sempre. Sorte sua que eu ainda sou loca por você...


Eu realmente acreditava na sinceridade tanto dos teus sentimentos quanto das suas palavras, mas quem ama não perde tempo. Quem ama não para no tempo sozinho. Meu tempo parava quando eu tava com você e agora que eu não te tenho, pra mim é indiferente comparar segundos e anos. Nesse momento, pra mim, eles são iguais.


Eu olhava pros teus olhos e via uma cor tão bonita, tão diferente das cores que eu conhecia... Agora eu olho pros teus olhos e as cores mudam como se não existissem, como se todo esse tempo a cor que eu via fosse apenas mais uma miragem inventada pelo meu coração.


Eu não quero que você vá, mas não quero que você fique. Pra falar a verdade, preferia nunca ter te conhecido, por que sendo assim, eu ainda teria vida. Graças a você, eu não tenho metade de mim, aquela que voce pegou sem pensar na falta que ela faria quando voce fosse em bora e a levasse contigo. Eu não mentia quando te dizia que você era a unica coisa que ainda me fazia bem. Voce ainda é a unica coisa que me faz feliz, a única diferença é que dessa vez eu não te tenho.


Denovo vem aquela negatividade da qual voce sempre criticou. Como você quer que eu pense positivo se o amor da minha vida não ta mais comigo? Eu só queria saber se esse tempo todo você tava mentindo, ou se você realmente me amou... Se eu realmente te fiz bem e se voce realmente precisava de mim como dizia. Se ao ter me conhecido sua vontade de viver voltou e se você pensava em mim... Se você queria mesmo me roubar pra você e se eu fui a mulher que você mais amou. Se eu era de verdade a tua garota especial e se voce se contentava mesmo em caber no meu coração. Eu queria tanto ter você perto de mim, por que quando eu to com você, o mundo não existe pra mim e você é a unica coisa que eu sinto. E eu queria sentir isso PRA SEMPRE e queria que o pra sempre nunca mais terminasse, pra eu ficar do seu lado até que me provassem que eu nao sou imortal. Você foi a pessoa que eu mais amei na minha vida inteira e isso me deixa maluca, por que se eu não te tenho como eu queria ter, eu não sou nada. Se eu fosse seu brinquedo, você estaria brincando direitinho, pena que eu ainda tenho um pouco de amor próprio.


Eu só queria que você nao me deixasse esperando muito tempo sem respostas, por que eu estou em pé esperando você dizer que quer voltar por que não vive sem mim.


EU TE AMO do mais sincero amor...

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Nascemos homens e morremos... morremos...


Nascimento; inocência. Quando o ser humano nasce, sua pureza, suas necessidades e vontades são exatamente as mesmas. Quando nascemos, somos puros, sem orgulho ou ódio, sem ganância, medos ou problemas. Somos parte da naturez, somos naturalmente inocentes e transparentes; somos homens!

Ao longo de nossas vidas, na maioria das vezes ainda criança, aprendemos a conviver em sociedade e então começamos a ver o outro lado do ser humano. Começamos desde já a sermos competitivos, começando pela escolinha de futebol na praia, passando pelo tamanho do castelinho de areia e depois de muitas retas, esquinas, vias e desvios, chegamos no vestibular, além da competitividade estar presente até seu coração parar de bater.

O homem então, começa a se perder em suas falsas necessidades e cada vez mais cria novos objetivos que, por si só, contém obstáculos. Não importa quem ou o que está à sua frente: se é pra alcançar uma meta (ganhar), mesmo que seja a coisa mais ridícula do mundo, o homem é capaz de destruír tudo e a todos, sem pensar duas vezes. Tudo isso para depois sentir aquele gostinho de vitória.

Mas essa vitória falsa, ilude tanto o ser humano que uma grande barreira começa a se formar diante de seus olhos. Então enquanto o homem ergue seu troféu foleado a ouro, bombas caem, geleiras viram água, pessoas morrem de fome e mizéria no mundo inteiro e então o que era pra ser uma vitória, passa a ser um pesadelo e o homem perde seu valor.

Então essa é a última vez que podem ser chamados de homens.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Não


Nao fique na chuva, Nao ande a noite, Nao saia sem casaco, Nao ande descalço, Nao grite, Nao fume, Nao beba, Nao use drogas, Nao se masturbe, Nao faça sexo, Não encare, Não fale alto, Não prossiga, Nao cuspa, Não coma muito, Nao faca furos no seu corpo, Não faça tatuagens no seu corpo, Nao beba de estranhos, Nao se importe, Não seja duro, Não seja liberal, Nao seja diferente, Nao ande assim, Nao fuja da sociedade, Não prove, Não se ocupe com futilidades, Não veja televisão, Nao queime seus neurônios, Não pise na grama, Não coloque os cotovelos na mesa, Não coloque os pés na cadeira, Não vire pra trás no meio da aula, Nao converse no meio do cinema, Não ria alto em público, Nao minta, Não conte a verdade, Não se revolte, Não lute, Nao toque, Não se apaixone, Não ame, Não seja criança, Não brinque com fogo, Não beba direto no gargalo, Não deixe seu quarto desarrumado, Não fique exposto ao sol do meio-dia, Não namore com ele(ela), Não acredite, Não sonhe, Não durma demais, Não fique velho, Não pare, Não faça isso, Não seja assim, Não corra, Não pule, Nao mate, Nao morra, Não faça nada, Não exista.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

"Não me mande parar agora!"


Ela estava viajando na velocidade da luz, talvez já a alguns anos-luz daqui... Sua cabeça latejava e seu prazer era intenso. Ela precisava disso... Desafiava as leis da gravidade pensando alto, mas era lei no fim dos 40 minutos, parar pra ascender um cigarro. O suor ja havia tomado conta de seu corpo, a maquiagem começava a descer pelas curvas de seu rosto e sua repiração ofegante ficava mais forte. Sua roupa já estava tão amarrotada e molhada, que nao faria diferença se não a tivesse. No final de tudo, conseguiu o que queria. Ninguém sabe ao certo o que ela queria, nem ela na verdade... Mas apesar disso, ela viveu intensamente 2 horas da sua melhor descuberta. Descubriu um outro mundo dentro do universo, algo paralelo a sua imaginação.

quarta-feira, 30 de julho de 2008

EmMiPlOtRaIoO


Sexta feira: Já é noite. Nao posso mesmo ficar em casa, então me visto bem ´kaha kaha´, coloco meu all star e meu lapis preto e bato a porta de casa. Vejo a lua que aparece com o coelhinho preso e olho pra frente me guiando pelos postes de luz. Estou seguindo o fluxo desse calçadão que segue todavida de arpoador a leblon, sem nem ao menos dobrar uma esquina. Sigo em frente, sentido direto. Prefiro passar pela esquina da rua de dentro, logo em frente ao meu destino final, pra ver se encontro alguem na janelinha ou encostado na loja de artigos de valor desnecessarios. nunca se sabe... as veze tenho sorte, as vezes nao. Ouço a música alta que vem de dentro daquele bar enfestado de vibrações positivas e o velho barbudo que usa uma blusa do AC/DC e canta Led como se fosse o proprio Robert Plant. Atravesso então a rua no sinal fechado, passo ascenando pelo vendedor de cervejas e refrigerantes e mais um pouco a frente, passo pelo orelhão, dou tchau pro Ceasar, atravesso em um sinal e já ouço aqueles gritos bem animados chamando pelo meu apelido. Se o alcool ja havia subido para suas cabeças eu não sei, só sei que aquela animaçao era uma lei! Falava com toda libélula, mais os amigos que fiz lá. Procurava pelo chapéu, mas as vezes nao o via ou por que estava sentindo a maresia que vinha de perto do mar, ou por que nao havia chegado. Quando via subindo pela areia ou seguindo as luzes do calçadão em direção a mim, meu coração desparava e, apesr de as vezes ele fingir nao me ver, eu ia até seu sorriso e o sentia um pouco mais real, as vezes até a noite acabar.

Um pouco mais de meia hora lá, as luzes começaram a girar e os rostos perderam o foco confundindo um pouco minhas palavras. Mando sinal de fogo pra casa e logo começa a paranóia para com o relógio de rua que fica logo em frente. 2h..2h e 10 min... merda, tenho tanto pouco tempo pra ficar aqui... A carência surge e é por um tempo suprida. Olho em volta, ainda meio fora de mim, ams com conciencia perfeita para admitir alguma falsidade na maquiagem de alguns cidadãos presentes naquele local. Alguns malucos gritando pel areia, nada que eu já nao tenha me acostumado. Alguns ratos roubando meu lugar de descanso e algumas bombas sendo estouradas pelos pequenininhos. Estranho é olhar pro lado e ver que o estranho é totalmente normal. Me sinto em casa, então. Já consigo ver as luzes imóveis novamente. Volto meu olho em direção quela porra de relógio que podia parar e vejo que ja passam das 2:30. Me dispeço, nao tão triste, e bem por saber que amanhã ainda é sabado...

segunda-feira, 21 de julho de 2008

o tempo


É tempo de se desmateializar. É tempo de esquecer do passado ruim e amar. É tempo de esquecer aquele amor fracassado e amar denovo. É tempo de amor; muito amor! É tempo de crescer, em todos os sentidos. É tempo de errar, se machucar, errar denovo e acertar! É tempo de amar e amar.. amar até que o mar perca seu sal, mas nada além de amar! É tempo de mudar mais por você e menos pelos outros. É tempo de se abrir e se fechar, tempo de beijar. É tempo de gritar pro mundo ou dizer baixinho pra que só você ouça; é tempo de se apaixonar. Amar e amar muito, e crescer com esse amor. É tempo de arriscar e confiar mais em você mesmo. é tempo de fechar os ouvidos pro mundo e seguir seu coração. É tempo de estar feliz pelo simples fato de estar amando! É tempo de dizer mais oi do que tchau. É tempo de sentir o coração saindo pela boca e os pelinhos da nuca levantando... É tempo de corpo com corpo, boca com boca, é tempo de amor. muito, mas muuuuuuito amor! Já que estamos presos a um tempo, vamos aproveitar; VAMOS NOS APAIXONAR!!!!
(d.a.a.m.v.ozskt)

domingo, 20 de julho de 2008

"De almas sinceras a união sincera
Nada há que impeça.
Amor não é amor
Se quando encontra obstáculos se altera
Ou se vacila ao mínimo temor.
Amor é um marco eterno, dominante,
Que encara a tempestade com bravura;
É astro que norteia a vela errante
Cujo valor se ignora, lá na altura.
Amor não teme o tempo,
muito embora
Seu alfanje não poupe a mocidade;
Amor não se transforma de hora em hora,
Antes se afirma, para a eternidade.
Se isto é falso, e que é falso alguem provou,
Eu não sou poeta, e ninguém nunca amou."

William Shakespeare

terça-feira, 15 de julho de 2008

Diferentes escolhas

De corpo aberto e coração selvagem.
A mente é um labirinto de perguntas onde só os mais profundos desejos podem ser desejados e onde só o mais sincero pudor pode ser perdoado. É a mais mentirosa verdade, dentro desse universo de imagens, sons, cores... Só perdidos conseguimos achar o que queremos, ou até o que não pensávamos querer, até o instante em que conhecemos. A mente nos seduz e ao mesmo tempo nos distancia e nos deixa loucos atrás de respostas.
Nunca é tempo demais; sempre, é muita monotonia. Se temos o corpo aberto, damos uma brecha pra que nossa alma vague pelos 4 cantos da nossa prisão interior, passando por sentimentos até que chegue a ações. Temos poucas horas, se cada hora tem 60 minutos, e por assim ser, sua vida tem 60 segundos. Em 60 segundos, muita coisa acontece. Em 60 segundos voce pode passar a não existir mais e começar a fantasiar realidades que ninguém jamais conseguirá te convencer de que na realidade elas não são. Com o controle da sua mente, você pode criar um mundo seu. Todos são apenas grandes criações suas. A sua ciência, sua religião, sua língua, seu céu, sua água... Você é o deus da sua propria redondeza. É como se a mente fosse uma bolha e como se o ar que voce soltasse fosse suas criações: a medida que voce assopra, a bolha vai aumentando e aumentando, até que você se vê totalmente dominado por ela. Mas talvez essa verdade se mostra mentira no ponto em que o limite é alcançado e você percebe que, ao invez de descobrir e aperfeiçoar seu ar, você acabou poluindo-o de tantas idéias. É a sedução que foi mais forte que seu universo natural e, finalmente, você se juntou ao resto dos seres que teoricamente você havia criado.
A mente é o mais poderoso vício, o pior veneno, o melhor orgasmo, a mais forte energia... Loucos e insanos, são quase como sanos, pois somente eles não foram seduzidos por suas próprias vaidades.
Quem sabe, nesse futuro passado próximo, você não veja que lá pra trás, você será quem nunca imaginou ser...?!
Nunca se esqueça que o destino nao existe; são apenas diferentes escolhas.
Eu fiz a minha.

sexta-feira, 11 de julho de 2008

Viva a vida...

Eu costumava controlar o mundo com as linhas que eu traçava,
Costumava mentir verdades falsas so pra nao cair em rotina.
Eu costumava brincar com fogo pra sentir a íra dos meus inimigos
e pegar estradas desconhecidas, traçando perigosos caminhos.
Costumava ouvir o que as nuvens diziam e segurava a chave, trancando só pra mim.
Eu ouvia os sons dos sinos tocando e os destroços de sons me chamando, tão perto.
Bilhoes de questoes...
Seja minha alma e meu missionario encantado. Por alguma questao que eu nao sei explicar, eu nunca estava lá, nunca estava; mas eu costumava controlar o mundo.
Um dia eu acordei e vi que estavam abertas, as que eu tranquei. chamei-me para entrar, procurando as respostas no som das trompetas que soavam em minha pele.
Só conseguir achar na direcão onde os sinos tocavam e os destrços me chamavam pelo nome. E apesar de todas essas regras estúpidas, eu costumava controlar o mundo...

terça-feira, 8 de julho de 2008

qual é o seu problema?!

Qual é o problema das pessoas? Nao, sério. eu realmente queria conseguir entender.
Por que é que voce nao pode apresentar nem ao menos uma foto do seu namorado pros seus pais se ele nao estiver nos pderoes normais da sociedade? Seilá, a gente (ou eles, os pais) fala tanto sobre preconceito, que isso é ridiculo, que nao podemos ter... mas isso é pura hipocresia! Seilá, eu achava que só de você ta feliz com a pessoa, ja deixava seus pais ou as pessoas a sua volta felizes. Mas não... se ele é afro, ou se é punk, ou tem dread no cabelo, aí não! sai dessa vida, não queremos esse futuro pra você!
..."Não queremos esse futuro pra você"...
esse é o tipo de sinceridade que eu preferia que fosse escondida atras de uma mentira.. esse é o tipo de sinceridade que doi muito mais que mil facadas. voce fica totalmente dividido entre seu coracao e sua familia... e aí?
Ah, mas voce ainda é novo, nao pode se decidir ainda sozinho. E quem foi o babaca que invetou isso? Sério, as vezes da vontade de perguntar qual é o problema dessas pessoas... Elas não veem que por baixo dessas roupas nós somos todos diferentemente iguais?? e mais que isso, por baixo dessa pele, somos mais iguais ainda!! Todos nos temos uma alma, um coração que bate e principalmente, sentimentos. Por favor, abram seus olhos... o que o mundo menos precisa agora é de preconceito!
E aí, qual é o seu problema??

sexta-feira, 4 de julho de 2008



Ah, que sonho... (SONHO!)

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Tudo em perfeita sinfonia.


Tudo começou por culpa daquela sinfonia. Tinha alguma coisa errada nela, mas eu nao consguia saber o que era. Então entrava o piano e seus acordes alinhados, utópicos, presos dentro da sua calda preta. Então um violino, logo depois a harpa. Pra cortar esse clima, o violaocelo gritava com toda a força do mundo, parecia que queria que o mundo ouvisse. Então o som começou a se desprender e eu ja conseguia ver um mi flutuando sobre o agudo daquelas vozes que trabalhavam juntas, em perfeita sintonia. Ainda havia algo de errado... Então um mistério soou sobre o som daquela oitava preta no piano, que fez-me sentir inquieta e apressada para chegar logo ao ponto de descanso. Desci minha mao até o grave para que os dois se desprendessem e pudessem ter liberdade, para que sua arte, seu som, caminhasse com as próprias claves. Sentia que ainda estava longe do fim e que precisava aperfeiçoar mais minha expressão. Respirei fundo, ascendi meu incenso e entrei dentro da minha mente. Lá, eu vi 7 notas multiplicadas eperando para ser composta por alguem. Chamei então minha voz, meu dom e minha alma. Senti minha vontade se desprendendo do meu corpo e então, naquele vazio que antes eu imaginava, começou a se formar uma linda música, onde um instrumento conversava com o outro e eles se entendiam muito bem. Enquanto a flauta doce limpava o azul do som, o violaocelo puxava os agudos para baixo, com sua expressao grave, para que elas não conseguissem voar antes da sinfonia acabar. As cordas do violão, envergonhadas, começaram a se mostrar devagar. Eram neutras, porém necessarias. Não tanto quanto as cordas do piano que contolavam o sentido do som. O bumbo, calmamente, marcando o tempo de vida de cada minima estrutura musical. Até que decidem todos serem livres, como querem. O violao diz-se essencial e quer ficar na terra, o bumbo morre logo, pois ja cumpriu seu dever. O violino e a harpa se desprendem e voam alto, até seu mais agudo paraíso, enquanto o violaocelo, entristecido, chora com graves fortes, sua solidao. Então enfim, a sinfonia vai acalmando, as vozes vão se perdendo e, finalmente, os rios de lágrima abafam seu som.
Nao havia mais nada de errado. eu apenas ainda nao sabia que perfeiçao nao existia.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Liberdade?


Tao perto, mas ao mesmo tempo tão longe...
é assim que eu me sinto as vezes, um peixinho em um aquario cuja vista é a liberadde inalcancavel. Sei que nao sou eu quem decido, ou até sou eu sim, mas nao sei como controlar; esse botao do controle eu ainda nao aprendi a manusear.
Parece que as vezes eu to presa no meio de 4 paredes, num cubiculo onde eu nao posso mecher e cujas paredes sao isolantes de som.. eu grito, grito e isso esurdece apenas a mim mesma, ja que ninguem faz a minima questao de quebrar aquela parede pra conseguir me ouvir.
É importante, ao mesmo tempo é irrelevante. O que é a liberdade diante da eternidade de uma vida?? Liberdade é uma palavra cuja definicão já fora esquecida a séculos. O homem nao mais consegue controlar a si mesmo e passa a ilusionar o dominio do mundo.
Será que ainda acharemos nossa liberdade?

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Outro Mundo

Temos grandes planos de vida,
Grandes idéias que parecem estar tão longe.
Temos uma casa,
Um quarto,
Um álbum de fotos,
Um passado...
Mas e só isso?
E assim que acaba?
Não acha que tem algo errado?
Nossos medos estão guardados,
Crescendo dentro de nos.
Assim o sol nunca brilhara.
Deve haver um lugar melhor.
Procurando por um outro mundo,
Eu não tenho certeza se sei.
Mas acho que a solução esta lá,
Bem diante dos nossos olhos,
Diante da nossa visão nítida.
Deve ser bem melhor,
Agora podemos amar uns aos outros.
Procurando por um mundo melhor,
Estamos marchando uma marcha sem fim,
E a cada dia atraindo mais e mais calor humano,
Ate conseguirmos tocar o sol.
Eu queria poder acreditar em historias com um final feliz,
E jurar antes de ver,
Poder confiar.
Mas estou confusa,
Estou perdida dentro da minha própria mente.
Parece que estamos perdendo a razão,
E a noite esta se eternizando.
A lua já sumiu,
As estrelas já caíram,
E só a escuridão permanece.
Você realmente acha que o sol ainda pode brilhar?
Procurando por um outro mundo,
Eu não tenho certeza de mais nada.
Mas podemos nos amar e amar sem medo,
Sem vergonha,
Sem mentira nos calando,
Ensurdecendo nossos ouvidos.
Todos nos devemos tentar!
Usemos outra roupa,
Cantemos outras musicas,
Olvidemos outros sons,
Recitemos outras poesias,
Ousemos mais outras ousadias...
E então,
Quem sabe,
O sol não brilhe novamente?
E então os raios atravessarão nossos olhos,
Ate que fiquemos cegos de alegria.
E então a beleza não mais importara,
E seremos realmente felizes.
Seremos amados,
Sentiremos o calor do sol,
Dos corpos,
Das melhores ações,
Ações de amor,
Confiança,
Segurança...
Viveremos em um outro mundo,
Criado pela alma e carne,
Criado pelos sonhos.
Acordaremos em uma outra manha,
Em um outro quarto,
Em uma outra cama,
Seremos outros nos.