quinta-feira, 13 de agosto de 2009

De volta a mim

Imagens distorcidas. Teus dentes trincando a raiva, forcando um sorriso. Teu corpo tremendo de dor, arrastando-se nos espinhos de rosas que avermelhavam mais com o escorregar da tua pele. Rasgando voce, regando-as com o seu sangue entorpecente.
É breve. Não apenas isso. Não tão breve... Não diria nem que é, se nao fosse. Mas longe de ser ainda há quem diga que não foi, não é, não será nunca. Forte, nunca... muito tempo, eu acho. Minhas rugas já teriam forcado um sorriso grato cheio de ingratidão. Minha memória já estaria falha, de tanto que eu usei do pecado das rosas...
Por que falo tanto das malditas rosas?
Debaixo das unhas sujas de terra, desejo tua pele que, mesmo depois de dias, ainda está alí, intocada. Queria poder arrancar teus olhos pra que você nao se desse o prazer de ver o montro que criou. Meus olhos cansados choram aquelas lagrimas que costumavam rolar pelo seu lençol quando a lua cegava o verde. Luto contra você, mas você sou eu. Te mataria se pudesse, mas não estaria mais aqui pra contar vitórias. Não poderia comemorar com doses e doses de ilusão.
Eu nao quero ser de mim mesma. Quero me dividir em você. Isso é impossivel. Eu me amo demais, eu te amo demais.
Meu ego é tua tortura, minha vaidade é tua loucura. Estranho seria achar normal o fato de mastigar a mim mesma por puro prazer de te ver sofrer.
Nao olhe pra trás meu amor, o espelho pode te revelar o que você temia descobrir.

4 comentários:

Francine disse...

sem palvaras...
PERFEITO.

Alterego disse...

Lerei depois TODOS se puder
agora vim de passagem deixar o meu recado
www.vulgarius.blogspot.com
esse é meu blog. Siga-me, jovem dama rs!

*dani* disse...

Queria me dividir em você!!
Nossa que frase linda
beijos kessel

clara mangeth disse...

FODA
continue assim, você vai longe.